Métodos da prospectiva

Prob Expert

Os métodos de impactos cruzados probabilistas visam a determinar as probabilidades simples e condicionais de hipóteses e/ou eventos, bem como as probabilidades de combinações destes últimos, levando em conta as interações entre eventos e/ou hipóteses. O método Prob-Expert foi desenvolvido em 1974 por Michel Godet, aplicado aos temas da prospectiva da energia nuclear. Cf Manual de prospectiva estratégica, Tomo 2, Cap 8, Reduzir a incerteza.

Objetivo

 

Os métodos de impactos cruzados probabilísticos visam a determinar as probabilidades simples e condicionais de hipóteses e/ou eventos, bem como as probabilidades de combinações destes últimos, tendo em conta as interações as interações entre eventos e/ou hipóteses.

 

Descrição do método

 

O « método dos impactos cruzados » é uma denominação genérica de uma família de técnicas que buscam avaliar as mudanças nas probabilidades de um conjunto de eventos que se seguiriam à realização de um ou vários dentre estes eventos.

Introduziremos aqui um destes métodos, o SMIC PROB-EXPERT (Systèmes et Matrices d’Impacts Croisés – Sistemas e Matrizes de Impactos Cruzados). Em termos práticos, considerando um sistema com n hipóteses, o método SMIC PROB-EXPERT permite, a partir de informações fornecidas por especialistas, escolher entre 2n imagens possíveis (jogos de hipóteses) aquelas que deveriam (em função de sua probabilidade de realização) ser particularmente analisadas. SMIC PROB-EXPERT (com o software PROB-EXPERT) consiste, então, em compor os futuros mais prováveis que servirão de base à construção dos cenários.

 

Fase 1 : formulação das hipóteses e escolha dos especialistas

 

Uma consulta SMIC PROB-EXPERT parte de uma base de 5 ou 6 hipóteses fundamentais e algumas hipóteses complementares. Não é fácil estudar o futuro de um sistema complexo com um número tão limitado de hipóteses, o que indica o interesse de adotar métodos como a análise estrutural de a reflexão sobre as estratégias de atores, que ajudarão a identificar as variáveis chaves e melhor formular as hipóteses de partida.

 

Independentemente de seus títulos, sua formação ou nível hierárquico, o especialista será escolhido por sua capacidade de pensar o futuro. A falta de independência dos especialistas pode constituir um inconveniente, razão pela qual os especialistas são consultados isoladamente e suas opiniões são colhidas por Internet e de maneira anônima: obtém-se, desta forma, a opinião de cada especialista, e não uma opinião mais ou menos falsificada por um processo de pressão de grupo (não há líder).

 

Pede-se aos especialistas :

 

  • Avaliar a probabilidade simples da realização de uma hipótese com a ajuda de uma escala que vai de 1 (muito pouco provável) a 5 (muito provável).
  • Avaliar, sob a forma de probabilidades condicionais, a realização de uma hipótese em função da realização e da não realização de todas as demais hipóteses.

 

Levando em conta todas as questões que o especialista deve se fazer, ele acaba por revelar o nível de coerência implícita em seu raciocínio. 

 

 

Fase 2 : probabilização dos cenários

 

O programa SMIC PROB-EXPERT (programa clássico de minimização de uma forma quadrática sob restrições lineares) permite analisar os dados brutos:

  • Corrigindo as opiniões (probabilidades) dos especialistas de maneira a obter resultados finais coerentes (isto é, que satisfazem os axiomas clássicos das probabilidades)
  • Calculando uma probabilidade para cada uma das 2n combinações possíveis das n hipóteses.

 

Graças à média das probabilidades atribuídas a cada uma destas imagens pelo conjunto dos especialistas, pode-se determinar uma hierarquia destas imagens e, consequentemente, dos cenários mais prováveis.

 

Convém então escolher 3 ou 4 dentre estes cenários, entre os quais um será o de referência (com uma forte probabilidade média), e cenários contrastados cuja probabilidade pode ser menor mas cuja importância para a organização não deve ser negligenciadas.

 

A etapa final corresponde à descrição dos cenários: caminhamento do presente às imagens finais e comportamentos dos atores.

L’étape ultérieure concerne l’écriture des scénarios : cheminement du présent aux images finales, comportements des acteurs (dentro da sequência do método de cenários).

 

Utilidade e limites

 

Os métodos ditos de interações probabilísticas constituem um progresso em relação ao Delphi, pois apresentam a vantagem de levar em conta as interações entre eventos. Contrariamente ao Delphi, o método SMIC PROB-EXPERT leva em conta a interdependência entre as questões levantadas e assegura a coerência das respostas. A aplicação do método é bastante simples. Seu desenvolvimento é bastante rápido e os resultados obtidos são em geral facilmente interpretáveis.

 

O método constitui, também, um excelente « parapeito » intelectual que permite, muito comumente, por em causa certas ideias preconcebidas e, sobretudo, comprovar que os cenários estudados cobrem uma parte considerável do campo dos possíveis, isto é, há pelo menos, de acordo com a visão dos especialistas, 6 a 7 chances sobre 10 que a realidade futura corresponda a um destes cenários.

 

É necessário, entretanto, estar vigilante e evitar, tanto quanto possível, uma aplicação muito mecânica deste tipo de método e não esquecer que as probabilidades obtidas continuam a ser probabilidades subjetivas, isto é, não repousam sobre frequências observadas, mas sobre opiniões formuladas.

 

A informação colhida ao longo de um processo SMIC PROB-EXPERT é considerável, tendo em vista que há tantas hierarquias dos cenários quantos são os especialistas consultados. Encontramo-nos, portanto, diante de um problema de agregação das opiniões dos vários especialistas. Uma das soluções possíveis consiste em criar uma tipologia dos especialistas em função da proximidade de suas respostas, ou de considerá-los por grupo de atores. Com efeito, a análise das respostas dos diferentes grupos de especialistas contribui também para esclarecer os jogos de certos grupos de atores. Os dados brutos e líquidos obtidos (comumente representados sob a forma de histogramas) permitem revelar certos consensos, fazer aparecer, graças a análises de sensibilidade, escolas de pensamento, e assim identificar certos grupos de especialistas ou de atores.

 

Conclusões práticas

 

Criada nos anos 1972-1973 por Michel Godet no CEA (Comissão de Energia Atômica da França), posteriormente desenvolvido pela SEMA, o método SMIC PROB-EXPERT experimentou um grande número de aplicações na França e no exterior. Numerosos outros métodos de interação de probabilidades foram desenvolvidos, depois dos anos sessenta, tanto nos Estados Unidos quanto na Europa.

 

Bibliografia

  • BENASSOULI P., MONTI R., “La planification par scénarios, le cas Axa France 2005”, Futuribles, n°203, novembre 1995.
  • DUCOS G., “Delphi et analyses d’interaction”, Futuribles, n°71.
  • GODET M., “Impacts croisés : exemples d’applications”, Futuribles, n°71, novembre 1983.
  • GODET M., Manuel de prospective stratégique, Dunod, Paris, 2001.
  • GODET M., Creating Futures : scenario-building as a strategic management tool, Economica-Brookings, Paris, 2001.
  • HELMER O., Looking forward : a guide to futures research, Sage publications, 1983.
  • MARTINO J.P., Technological forecasting for decision making, Mac Graw Hill, 1993.
Concepção e residência Logo Axn informatique © 2010
Conformidade de seu site às normas do W3C, organismo de padronização da web
Valid HTML 4.01 Transitional